domingo, julho 15, 2007


Durante muitos anos, obriguei-me a rigorosa contenção em tudo quanto dizia respeito a Timor ocupado. Por óbvias razões.
Com a independência, pensei que esse mau bocado fazia definitivamente parte de um passado bem enterrado. Mas eis-me, em 2007, obrigada a novo exercício de contenção.
No blog do lado, escrevi que o silêncio é de ouro. E eu, que tanto gosto da palavra, arrumei-a num canto, não fosse ser tentada a deixar que os dedos deslizassem pelo teclado e escolhessem inadvertidamente letras que formassem palavras e estas transmitissem ideias que pudessem provocar reacções desagradáveis a quem delas não gostasse...
Por isso tenho mantido prudente contenção.
Só que, às vezes, dá-me cá uma vontade de desbobinar o que sinto que nem se faz ideia!
Em todo o caso, mais vale manter a contenção. A situação continua a exigir que todos tenhamos os pés bem assentes na terra e a cabeça no lugar.
Vou fazer por isso!

3 comentários:

Maracuja Maduro disse...

Visite o Timor do Norte a Sul . Hoje recordando um poema de Xanana Gustmão: " :Oh! Liberdade!"

Este é endereço do Timor do Norte a Sul :

http://timordonorteasul.blogspot.com/

AnadoCastelo disse...

Meu Deus, realmente para quem vive num País em que a expressão é livre faz um pouco de confusão que não se possa falar abertamente. Mas compreendo perfeitamente que não possas abrir o teu livro. Deixa lá, lá há-de chegar o dia, mesmo que não sejas tu, que alguém o possa fazer sem ferir susceptibilidades.
Beijinhos

BoDy anD SouL disse...

Querida Angela, o seu escrever e delicioso, e o seu silencio tem um eco cosmico, e um grito de uma dimensao que penetra naqueles que teem capacidade e crescimento para o entenderem. Encanta-me as suas palavras mesmo medidas e escolhidas, tudo tem um proposito e nada e eterno, o tempo e uma elusao, como outras tantas elusoes. Bem haja