quinta-feira, junho 15, 2006

Canta o galo!



Nos dias de paz, os galos cantavam a desoras porque não tinham de prestar contas a ninguém da sua cantoria. Tanto se lhes dava que acordassem o mais comum ou incomum dos mortais com o seu cocorococó! Ele era cocorococó às 2 horas da madrugada, às 3, às 4, conforme lhe apetecia e conforme havia ou não repetição da sua cantoria pelos galos da vizinhança. Agora, que voltamos a estar nas bocas do Mundo e até temos todo um aparato miltar que vestiu Díli com roupas novas de outras cores bem menos alegres, com o barulho de helicópteros e de aviões sempre a desoras, como podem os pobres dos galarotes sintonizar as suas desoras com as dos homens? Não o fazem, claro! Nem falamos a mesma linguagem... Vai daí, cantam muitas vezes de manhã, à tarde, à noite, numas desoras muito mais desordenadas, isso sim, em perfeita sintonia com a desordem dos homens!

3 comentários:

AnadoCastelo disse...

Até os galos andam desnorteados. O que os homens fazem. Há que pôr os homens em sentido para que os pobre bicharocos cantem, ora essa.
Bjs

ivone ralha disse...

Olá Angelina! Gosto muito de visitar os teus estados de alma e as tuas belas fotos. Venho cá todos os dias!
Beijos

Heibelha disse...

Pobres galos desprevenidos das guerras dos homens. Espero que as galinhas não façam greve de ovos, senão é que vai ser bonito. Bjinhos.